quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Janelas Abertas




Nos muros frágeis dos pomares
Entre manhãs moram auroras
Nas avenidas das procuras
A poesia canta ternuras.

Notas pequenas,claves
Num oratório de seda
O vento sopra ao acaso
As cores de tuas palavras.

Enquanto em tua alma ressoa
Acordes dum piano quieto
A música penetra,amorosa e bela
Pelas janelas abertas!

Vany Campos
16/02/2015

Cores que Dançam



Nunca assim,num dia assim
Me deixa sem mim
Oh,poderosa fonte,ou fase
Das fragrâncias em êxtase.

Nas horas fugidias tão tuas
Entre vindas e idas,miragem
De teus sapatos de viagem
Ouvi sussurros de palavras mudas.

Quero azuis nas cores que dançam
Nas brisas que beijam e balançam
Esmeralda como cor da grama
Num brilho que flutua plano.

VanyCampos
31/01/2015

Passos




Brisa de verão num final de tarde
Amoroso vento sopra sem alarde
Tudo se move...Andanças velozes
Enquanto na rua caladas vozes.

Traços indeléveis da verdade
Para teus olhos sempre é dia
Parece que o ar é maresia
E o tempo se perde na idade.

A vida guarda o ópio dolente
Numa sonolenta primavera
Flutua no tempo indiferente
Ao silencioso passo das eras.

Vany Campos
26/01/2015

Ilusão ?


Consomes meu canto meus sonhos
Todo mistério se insinua
Intempéries madrugam em mim
Vento branco falou ´´sim``.

Orvalhadas de distâncias
As folhas ficam ao relento
Caem torres de diamante
Nada está onde outras estão.

Vou só, levo apenas o coração
Seguro em minhas mãos
A caminho dum horizonte
Onde deixei minha ilusão.

Vany Campos
22/01/2015

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Gotas de Amor


Cintila o chão gotas de amor
E a natureza adocicada de jasmim
Em cada flor um beijo de mim
Num sol que se faz ardente.



Quero guardar nuvens sombrias
Para o céu azul-anil sorria
Acordaram sonhos de beleza
Tudo é encanto na natureza.


Vou abrir janelas imaginárias
Para ouvir vozes que amei
Não são tão solitárias
Pra elas amores cantei.


Vany Campos
14/10/2014

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Primavera


Deixa a primavera
Acariciar a tua pele
Deixa-a tomar conta
De teu corpo e tua alma
E perfumar teus sentidos
Colorir teus sonhos e desejos
Com tons originais
Deixa teu coração palpitar
No ritmo universal
(da vida)

Vany Campos
23/09/2009



[Tela Pino Daeni]

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Sonhos Guardados


Alguém vem vindo no escuro
Do centro do mundo
Já não cabe, mesmo assim se guarda
Se empurrar, dobra e faz caber

Por que ali dormem saberes
De segredos enormes profundos
historia viva do mundo
Antigo com apenas segundos

Vem de mãos estendidas
Em tecido desfeito pelo tempo
É delicadeza forte e violenta
Como violetas A SONHAR

Vany Campos
22/09/2014

[Tela by Arthur Hopkins]

Jardins de Promessas


Existem dias cinzas
Também agradáveis claros
Sob lindo céu azul
Parecem pintados de anil

São jardins de promessas
Alegres manhãs serenas
Adormeço na utopia
De lençóis de silêncios

Voamos nas asas das pombas
Na sépia dos sentimentos
Sem pressa de ir embora
Costuramos lençóis de auroras!

Vany Campos
21/09/2014

Sem preconceito


Os endereços da vida sem preconceito
Na ânsia de voltarem um dia
Podem ocorrer em qualquer lugar
Há desejos morando por aí.

Tem que ser um querer sem fim
Tudo deve valer para todos
Mesmo os que ainda não afloraram
Que a mágoa nunca os perturbe.

Há tanto entre o ir e o vir
Da criança ao mais adulto
Porque os bem-te-vis cantam
Sem perguntar jamais a quem.

Vany Campos
20-9-2014

Destemperos


A vida anda ventando
Alguém surge como encantamento
Entre promessas e abraços
Surgem afagos convites aparecem.

Café preto com pão e doces
Alimentos puros do momento
Na cultura da alimentação
Teu beijo é meu leve alimento.

Há destempero pelas ruas
Rumos e estradas distantes
Caminhos que talvez se cruzem
Nessa viagem que chamamos vida.

Vany Campos
20-9-2014