terça-feira, 2 de setembro de 2014

AMPLIDÃO

Foto: AMPLIDÃO
 
Lembro como eras no último outono
Teus olhos tinham o brilho dum cristal
As folhas caíam na cama de teu sono
Fogueira de espanto que em minha alma ardia.

Sinto o silêncio da melancolia
Ao raiar de cada dia
Quero navegar na poesia
E nas lágrimas de meu pranto.

O meu amanhã começa agora
Nos braços da aurora...
Meu desejo não é fantasia.
Vou buscar a verdade dos dias
Que a amplidão irradia...

  Vany Campos
Lembro como eras no último outono
Teus olhos tinham o brilho dum cristal
As folhas caíam na cama de teu sono
Fogueira de espanto que em minha alma ardia.

Sinto o silêncio da melancolia
Ao raiar de cada dia
Quero navegar na poesia
E nas lágrimas de meu pranto.

O meu amanhã começa agora
Nos braços da aurora...
Meu desejo não é fantasia.
Vou buscar a verdade dos dias
Que a amplidão irradia...

Vany Campos