quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Memória Antiga


A casa onde nasci virou criança
Do tempo das bonecas de trança
Eu lembro tanto do quintal
É o mais lindo que há.

Passa de vagar memória antiga
E a noite transparente e distraída
Com aroma de rosas densa e breve
Passa o tempo por mim,mais leve.

Avanço o paço,devagar,é labirinto?
Sem me perder no que acredito
Ser meu amor,mais antigo
Onde ainda em lembranças ainda brinco..

VanyCampos
08/09/2014

[Tela de Arthur John Elsley]