domingo, 7 de setembro de 2014

SUTILEZAS



Viemos pelo além das madrugadas
Num envelope fechado
Com lembranças doutros dias
Entre tantas estesia.

Onde vive teu silêncio
Na brisa solta no vento?
Onde estão as canções antigas?
Talvez no choro dos rios.

Se um sonho viaja pelo infinito
Em folhas soltas ao vento
As sutilezas dos silêncios
Moram em meu pensamento.

Vany Campos

(22/07/2014)